A estreia de Paul Verhoeven no TrafficTalks não poderia ter sido melhor com outro filme senão Showgirls (1995). Neste episódio Daniel Pilon (@daniel_pilon, letterboxd.com/danielpilon) e Daniel Yokoyama (@dmyokoletterboxd.com/dmyoko) descrevem o clássico do diretor holandês, conhecido por sua violência gráfica e sexualidade, famoso por Robocop, Vingador do Futuro e Instinto Selvagem. Vamos falar da rejeição da crítica, dos Framboesas de Ouro, e de como o filme demorou para ser reconhecido como uma grande obra.

Recados da semana:

Citado durante o episódio:

It Doesn’t Suck: Showgirls
Adam Nayman
amazon

Showgirls

Paul Verhoeven, 1995
imdb | letterboxd

Um filme muito depreciado pela crítica no ano de lançamento (19% no Rotten Tomatoes e 16/100 no Metacritic), Showgirls foi recordista de indicações ao Framboesa de Ouro (13 indicações) e também de premiações: 7 prêmios, sendo Pior Filme, Pior Atriz, Pior Diretor, Pior Roteiro, Pior Revelação, Pior Casal e Pior Canção Original.

Foi só com o passar dos anos que Showgirls passou a ser reavaliado e começou a ser reconhecido como uma grande obra de Verhoeven. No elenco: Elizabeth Berkley (Nomi Malone), Kyle MacLachlan (Zack Carey), Gina Gershon (Cristal Connors), Glen Plummer (James Smith) e Robert Davi (Al Torres).